domingo, 24 de janeiro de 2021

Outros descendentes do Barão de Camanducaia

Como muitos homens de seu tempo, o Barão de Camanducaia teve filhos fora do casamento. De acordo com Mercedes Carvalho Campos (2002), citada por Campos Salles (2017, p. 150-151) consta ainda que Joaquim da Motta Paes, o Barão da Camanducaia, teve os seguintes filhos naturais (fora do casamento) com Frauzina da Cunha, também conhecida como Eufrazina Mendes da Silva ou Eufrazina Maria de Jesus:

1- Alferes Joaquim Frauzino da Cunha;

Casado em 28/02/1876 com Maria Madalena Pereira de Jesus, filha de João Pereira da Silva e Maria José Carolina. Tiveram:

1.1 Maria Madalena da Cunha, casada em 1893 com Firmo da Motta Paes e falecida em 1898, sem descendência.

1.2 Joaquim, batizado em 21/03/1880

1.3 Belmiro Frauzinho da Cunha.

Joaquim Frauzino da Cunha casou-se em 21/01/1882 com Lucinda Mendes da Silva, filha de João Batista de Oliveira e Maria Antonia da Silva. Tiveram:

1.4 Lucinda Mendes, casada com Antônio Rodrigues Ferraz.

 Joaquim teve ainda uma terceira esposa, Mariana Mendes de Souza, irmã de Lucia Mendes da Silva. O casamento ocorreu em 02/01/1900 em Conceição dos Ouros-MG. Tiveram:

1.5 Joaquim da Cunha, nascido em 02/04/1901.

2- Antonio Frauzino da Cunha, batizado em 28/06/1857.

3- Satiro da Cunha Lobo, nascido em 23 de janeiro de 1864 em Conceição dos Ouros-MG.

4- Virginia Maria de Jesus, batizada em 23/08/1868 Conceição dos Ouros-MG, foi casada com Candido Antônio Rosa.

SATIRO DA CUNHA LOBO (ou Satyro da Cunha Lobo, a grafia varia conforme documentos) nasceu em 23/01/1864 em Conceição dos Ouros, Minas Gerais e foi casado com Lucia Mendes da Silva. Satiro foi batizado em 21/02/1864 na mesma cidade de nascimento. Flauzina da Cunha, teve outros filhos, todos de pais incógnitos e batizados por irmãos do Barão de Camanducaia, assim como Satiro da Cunha Lobo que foi batizado pelo tios Tenente Francisco da Motta Paes e Maria Ribeiro de Oliveira, o que reafirma o relacionamento de proximidade entre os dois.

De acordo com relato direto de Mercedes do Carvalho Campos, memorialista, especialista na história da cidade de Conceição dos Ouros e autora do livro "Salve Ouros Cidade Querida", era comum à época, filhos naturais serem mencionados como “filho de pai não identificado”. A autora reitera, entretanto, que é possível afirmar, dadas as provas documentais, que Satiro da Cunha Lobo era filho de Barão de Camanducaia, conforme transcrevemos: 

Em atendimento ao seu pedido, encontrei algumas citações sobre SATIRO DA CUNHA LOBO, sempre com a referência “filho de pai não identificado” o que era bem comum na época. Lendo nas entrelinhas, sabe-se que era filho do Barão de Camanducaia, seja pela localização – Bairro Perobal – ou pelas testemunhas relacionadas [...]. (Comunicação pessoal)

Destaca-se que o bairro Perobal, citado na mensagem pela autora, é um bairro de Conceição dos Ouros, localizado em terras do Barão de Camanducaia, próximo à sede de sua fazenda. Soma-se a isso o fato de o Alferes Joaquim Flauzino da Cunha, irmão de Satiro, ter tido um sítio naquela localidade

Satiro casou-se com Lucia Mendes da Silva, em 27 de setembro de 1886, filha de Francisco Ignácio de Souza e Francisca Mendes da Silva, conforme transcrição do registro de casamento: 

Aos vinte e sete de setembro de mil oito centos e oitenta e seis nesta Matriz de Conceição dos Ouros depois de ter sido proclamados receberão em matrimonio Satyro da Cunha Lobo, com Lucia Mendes da Silva, elle filho natural de Euflauzina Maria de Jesus, ella filha legítima de Franco Ignacio de Souza e Franca Mendes da Silva, os receberam na forma determinada pela Sta Madre Igreja e a face della nas testemunhas Domingos Antonio Roza e João da Motta Silva do que mandei fazer este assento que firmo in vivo O Vigário Avelino Pinto da Cunha 

O casal teve oito filhos: 

1– José, nascimento 11 de fevereiro de 1888 e batizado em 11 de março de 1888, Conceição dos Ouros-MG.

Na ocasião do batismo de José, primeiro filho de Satiro e sua esposa, Lucia, em 11 de março de 1888, foram padrinhos o próprio Barão de Camanducaia, avô da criança e sua esposa, a Baronesa, conforme lê-se o registro de batismo: 

Aos onse de Mço de mil oitocentos oitenta e oito nesta Matriz da Conceição dos Ouros baptizei e pus os Stos Oleos a José ... idade um mez fo legmo de Satyro da Cunha Lobo, e de Lucia de Souza; forao padrinhos Barão de Camanducaia e a exma Baroneza. ... constar mandei fazer este assento ... firmo. Conceição dos Ouros 11 de Março de 1888. O Vigario Avelino Pinto da Cunha

2– Maria Flausina da Cunha, nascimento em 03 de maio de 1890 e batismo em  25 de maio de 1890, Conceição dos Ouros-MG.

3– Anna, nascida em 3 de setembro de 1894 e batizada em 15 de setembro de 1894, Conceição dos Ouros-MG. 

4– Joaquim, nascimento em 15 de dezembro de 1896 e batismo em 27 de dezembro de 1896, Conceição dos Ouros-MG. 

5– José, nascimento em 21 de janeiro de 1901, batizado em 21 de janeiro de 1901, Conceição dos Ouros-MG. 

6– Adelina Flausina da Cunha nascida por volta de 1901 em Minas Gerais, por volta de 1901, filha de Satiro da Cunha Lobo e de Lucia Mendes da Silva, e faleceu em 30 de dezembro de 1940, em Joanópolis, São Paulo, Brasil, conforme atesta seu registro de óbito: 


“ÓBITO (Nº 2772) Certifico que, a fls. 296 do livro nº 17-C de registros de óbito, foi lavrado hoje o assento de Adelina Eufrosina da Cunha falecida aos 30 de dezembro de 1940, às 15 horas e .... minutos, neste município, do sexo feminino, de côr branca, profissão domestica, natural de Minas Gerais domiciliada em neste município e residente em ‘’ ‘’ com 39 annos de idade, estado civil casada filha legítima de Satyro da Cunha, profissão .... natural de ... e residente em ... e de D. Lucia Mendes da Silva profissão ... natural de ... e residente em ... Foi declarante Aristides Bragion, sendo o atestado de óbito firmado por Dr. Carvalho que deu como causa da morte sem assistência medica e o sepultamento foi feito no cemitério desta cidade. Observações O referido é verdade e dou fé, Joanópolis, 31 de Dezembro de 1940. O Oficial , .... ”.

Adelina casou-se com Manoel Felipe dos Santos. 

Tiveram os seguintes filhos: 
6.1- Elisia;
6.2- José;
6.3- Joaquim; 
6.4- Francisco Felipe dos Santos;
6.5- Manoel Felipe dos Santos Filho, nascido em 20 de fevereiro de 1933; 
6.6- Maria Eufrosina da Cunha, que adotou o nome de casada Maria Eufrosina da Cunha Lemes; 
6.7- Estelita Flauzina da Cunha, que adotou o nome de casada Estelita Flauzina da Cunha Gonçalves.

7– Turibio, nascimento 15 de março de 1905, batizado em 2 de abril de 1905 em Conceição dos Ouros-MG.

 8– Etelvino, nascimento em 28 de março de 1907 e batismo  em 31 de março de 1907, Conceição dos Ouros-MG.

Pesquisa de Walquirya Helena Aguiar de Oliveira Santos que autorizou a publicação.

Com informações do livro "Do fumo ao café: Major Felix da Motta Paes e seus descendentes" do amigo José de Campos Salles Neto.

Caso tenha informações sobre os demais descendentes, entre em contato pelo email mayara.mmatos@gmail.com. Obrigada pela visita!

domingo, 13 de dezembro de 2020

José Antônio de Mello Cabral [Capela, Sergipe, Brasil 1851- 1928]

Descobri a feliz coincidência de que meu avô, José Walter Cabral Matos, descende também de uma família Motta, essa do Sergipe. Tive acesso e transcrevi o documento "Lembranças" escrito por José Antônio de Mello Cabral entre 1868 e 1928. Embora não seja relacionado aos Motta Paes pensei em postar aqui pois pode ser do interesse de outros pesquisadores, além de documento muito interessante per si.

Espero que gostem!


Em maio de 1868 meo padrasto deichou o engenho mudando-se para o Mucambo para plantar algodão.

Em junho de 1869 emancipei-me com suprimentos d'idade e em julho tomei posse de meus bens.

Em setembro de 1871 pouce em pratica a Lei Geral do Ventre livre. No mmo anno matriculou-se todos os escravos.

No dia 3ªfra. 8 de março de 1875 a 1 1/2 horas da tarde, rijo tufão de vento cahiu sobre a Villa de Capella, acompanhado de chuva de pedras que cauzace grandes estragos nos telhados das cazas. 

Em agosto de 1876 soffri uma grande ferida no pé direito, proveniente de uma perebinha, que para sarar foi-me precizo tomar azougue.

Em 23 de junho de 1877 principiei a plantar canna no engº. Pedras de sociedade com meu padrasto, plantei 21 tarefas, tendo um terço nos lucros.

Em 24 de março de 1878 voltou meo padrasto do Mucambo (ilegível) o engº. a sociedade que commigo fez não comprir - devidio as cannas no canavial e o meio terço ainda tirou meação de sorte que neste anno só tive prejuizo.

Em 2 de abril de 18779 mudei-me pª. o engº. Japaratuba propriedade de meu mano Jorge. [ id L5ZV-2GW]

Em 3 de julho de 1883 comprei o citio Catinga ao Senr "João Gonçalves de Sá" por 2:700$000

Em 1884 fiz o pasto e gastei 340$000

Em 1885 fiz a caza e gastei com muita economia 899$120

Em 1887 fiz a caza da bodega e gastei 138$800

Na estrebaria gastei 84$480

Em 24 de julho de 1887 estabeleci minha bodega

Em 31 de julho de 1887 mudei-me para meo citio da Catinga

Cazei-me em 10 de setembro de 1887
Nasceo minha mulher em 20 de Desembro de 1863.
Maria Pastora de Carvalho Cabral.

Hoje 2ªfrª. 28 de maio de 1888 as 11 horas do dia minha mulher deo a luz 2 crianças de sexo masculino, uma morta, outra viva que baptizei de Antônio fallecendo 4 horas depois de nascida
Sesto mêz da prenhêz

Aos 13 de maio de 1888 libertou-se toda escravatura do Imperio dp Brazil sem indinização - eu perdi as escravas - Pastora e uma filha de nome Perdelianna, Tomazia e 3 filhos de nomes Manoel, Francisco e Marcos; Jacintha e a metade de Selina.

Em maio de 1888 rebentarão-me 3 feridas nas costas de natureza syphilitícas que vierão sarar depois de 10 mezes de tratamento medico. Soffri muitos cauterios que só a vontade de ficar bom obrigava-me a supportar.

Aos 15 de junho de 1889 as 7 horas da noite nasceu minha filha Othilia. Baptizou-se a 15 de agosto do msmo. anno e forãm padrinhos meo mano Jorge Pelatem de Mello Cabral e Mª. sogra D. Anna Gracinda de Carvalho Andrª.
Baptizante o Conego Francisco Vieira de Mello.

A 16 de junho de 1890 às 4 horas e 45 minutos da tarde nasceo meo filho Aureo. Baptizou-se a 9 de outubro do corrente anno e forão padrinhos meo padrasto José Luiz de Mendonça e minha mãe Roza Umbellina de Mello. Foi baptizado em N. S. das Dores pelo Remo. Pe. João de Maria (Italiano).

Aos 31 de agosto de 1899 morreo meo filho de febre palustre, com 9 annos, 2 mezes e 14 dias de idade, a 3 de setembro morreo meu filho Bertalho.

Em janeiro de 1891 secou o rio Japaratuba de não ficar água nos poços. Em maio corrêo até agosto, depois secou outra vez que veio a correr em junho de 1892. Em abril secou que veio a correr em maio de 1893. Em abril tornou a secar e veio a correr em maio de 1894 - grandes invernos 1895, 1896, 1897. As maiores cheias q. já vi no Japaratuba foi em 1877-1910 1918-1921.

Em 26 de novembro de 1891 as 8 horas do dia nasceo minha filha Olindina. Bapitzou-se a 19 de janeiro de 1892, sendo os padrinhos T. Cel. Deocrecio de Carvalho e Andrade e Mª, cunhada D. Maria Perpétua de Goés Mello. Baptizante o Conego Fransico Vieira de Mello. Adoeceo em 14 de setembro de 1925, foi operada no dia 39 do mesmo mêz e faleceu em 07 de outubro.

Aos 4 de novembro de 1892 mudei-me para a Capella e montei fábrica de descaroçar algodão.

Aos 25 de janeiro de 1893 as 2 horas da tarde nasceo meo filho Eusterio. Baptizou-se a 16 de abril do mmo. anno, sendo padrinhos Capm.José Soreo de Sá e D. Cordulina Rosa Cabral apresentou D. Maria Eliza Mattos, baptizante o Conego Francisco Vieira de Mello.

Aos 19 de agosto do mmo, anno as 5 horas da tarde morreo meo filhinho de uma apoplexia.

No dia 13 de outubro de 1893, as 3 horas e 50 minutos da manhã morreo minha idolatrada mãe.

No fim de novembro de 1893 tomei conta do meo engenho Pedras.

Vendi o citio Catinga por 3:000$000.

Em 10 e janeiro de 1894, Pastora cahiu doente de uma pneumonia, q. com o acesso da febre deo a luza no dia 14 as 11 e 1/2 horas da noite a meo filho Antonio que viveo 7-1/2 horas, depois morreo. Baptizou-se ligeiramente com agua somente. Estava no 7º mêz de prenhêz. Depois de pronto melhorou da febre e ficou bôa.

No dia 1º de junho de 1896 morreo o Cônego Vigário Francisco Vieira de Mello. Ao interro comparecerão cerca de mil pessoas dámbos os sexos, sendo muito prantiado o interro.

No mmo. anno veio tomar conta da freguesia como Vigário o Revmo. Pr. Virgilio do Rosário Montílegível]

E, 1897 andando em vezita pastoral em todo Sergipe o Rvmo. D. Jeronimo Thomé da Silva Arcebispo da Bahia tocou na Capella em Março, demorando-se 5 dias. Teve bonita recepção.

Aos 13 de abril de 1897  comprei o engenho Boa-Sorte por seis contos de réis.

Aos 5 de julho de  1897 as 8 horas do dia nasceo meu filho rutilio. Baptizou-se a 22 de agosto do mesmo anno, sendo ádrinhos meo sobr. Antônio de Mello Cabral e mª. sobrª. Thereza de Jesus Leite. Baptizantes o Vigário Virgílio do Rosário Monte[ilegível]

A 5 de setembro de 1899 morreo meo filho se febre palustre, com idade de 2 annos e 1 mêz.

Aos 4 de fevereiro de 1898 seguio minha filha Olindina para a Bahia aos cuidados de minha sobrª. e Comadre D. Cordelina para trata-se dos olhos, voltando a 4 de junho do mmo. anno bôa.

No 1º de setembro de 1898 as 2 horas da manhã nasceo minha filha Maria. Baptizou-se a 23 de outubro do mesmo anno, sendo padrinhos meo sobº. Belmiro de mello Cabral e mª. sobrª. Belmira Adelina de Andrade. Baptizante o Remo. Pr. Leandro Ribeiro dos Santos.

Quadras da vida

No 1º de agosto de 1899 - cahio doente de frebe palustre minha filha Olindina que esteve de não se julgar a voda; porém, graças a Deus e ao bom tratamento do distinto Clínico Dr.  Pedro Muniz Barretto salvou-se.

A 18 do mesmo mêz cahio minha filha Ithilia da mesma febre e pelo mmo. modo de tratamento foi salva. A 28 do mmo. mêz cahio da mma. febre o meo filho Aurio; vindo a sucumbir 3 dias depois a 4 horas da tarde. Morreo com a idade de 9 annos, 2 mezes e 14 dias.

A 3 de setembro da mma. febre cahio meo filho rutilio e neste mmo. dia fui com toda família para o engº. defalor!(?) Morreo 3 dias depois as 5 horas da tarde com 2 annos e 1 mêz de idade.

Aos 15 do mmo. mêz de setembro morreo minha [ílegível] Maria Perpétua de Mello com 80 annos e 9 dias de idade, morava commigo.

Aos 21 do mmo. setembro voltei do engº. para a Capella mandando primeiro desinfectar a caza:

Passamos 14 dias em plena paz. A 5 de outubro cahio da mma. febre a minha criada Mariada (por nós muito estimada) e a 11 do corrente mêz a 1 hora da madrugada morreo! Veio q. minha companhia na idade de 9 annos m. ou menos e moramos juntos 10 annos e 3 mezes;

A 25 de dezembro de 1899 as 10 horas da noite nasceo minha filha Dulce. Baptizou-se a 3 de fevereiro de 1900. Sendo padrinhos Dr. Pedro Muniz Barretro e D. Adelina da Costa Carvalho. Baptisante o Remo. Pr. Leandro Ribeiro dos Santos.

A 8 de junho de 1900 as 4 1/2 horas da tarde falleceo minha filha com 5 mezes e 14 dias de idade. A cauza da morte, inflamação nos intestinos.

A 25 de abril de 1901 as 5 horas nasceo minha filha Auria. Baptizou-se a 23 de maio do mmo. anno, sendo padrinhos o Senador José Luiz Coêljo Campos e Mª. comadre Adelina da Costa Carvalho. Com procuração do mmo. Senador servio em lugar deste o T. Cel. Deocrecio de Carvalho Andrade. Baptisante o Remo. Pr. Leandro Ribeiro dos Santos.

[Pai de tia Aurora]

A 24 de maio do corrente anno de 8 horas e 45 minutos da noite morreo a mª filha proveniente de catharro. Viveo 29 dias.

A 12 de maio de 1902 as 6 horas e 45 minutos da noite nasceo minha filha Adelina. Baptizou-se a 5 de junho do corrente anno sendo padrinhos o T. Cel. José Ferreira da Silva e mª. comadre Adelina da Costa Carvalho. Baptisante o Remo. Pr. Leandro Ribeiro dos Santos. A 18 de junho do mmo. anno as 6 horas e 10 minutos da noite morreo, proveninete de inflamação dos intestinos.


Em 22 de abril de 1903 registrei no cartório de paz minhas filhas:


Othilia

Livro nº 1, folha 142, N.

Olindina

Livro nº 1, folha 143.

Izaura

Livro nº 1, folha 143.

Maria

Livro nº 1, folha 144.

Em 29 de agosto de 1910 registrei no cartório de paz meus filhos:

José 

Livro nº 1, folha 178.

Aureo

Livro nº 1, folha 179.


A 7 de setembro de 1903 a 1 da tarde nasceo meo filho José. Baptizou-se a 15 de novembro do corrente anno, sendo padrinhos. Dr. Francisco Vieira de Andrade e sua mulher  D. Maria Hercilia Vieira Dantas. Baptisante o Remo. Pr. Leandro Ribeiro dos Santos. 

Em 1902 montei meo vapor do engenho Pedras. Comprei em segunda mão por 7:000$000 e gastei em concerto radical e bom assentamento 6:235$880 mais.

--------------------------------------------

Domingo 24 de abril de 1904 as 9 horas da manhã apareceu em Pastora uma hemorragia abundantissima que veio acceder a 1 da madrugada depois de grdes. esfoços médicos - rezultando n'hum aborto e a 27 do mmo. mêz as 11 horas da ,anhã appareceo-lhe frio e depois febre de 40 graus - pauperal- com inflamação nos intestinos que não julguei escapar; mas graças  a Deus e ao cuidadoso tratamento do Dr. Pedro Muniz Barretto contamos a victoria.

A 13 de julho de 1905 as 9 horas da noite nasceo meo filho Aurio2. Baptizou-se a 19 de novembro do corrente anno, sendo padrinhos, o meo sobrº. seminarista Pr. José de Motta Cabral e minha filha Othília de Mello Cabral. Baptisante o Remo. Pr. Leandro Ribeiro dos Santos.  Depois do acto o padrinho consagrou-o a N. S. da Conceição.

A 24 de abril de 1921 morreo meo filho de tuberculose. Com 15 annos 9 mezes e 11 dias. Estava estudando, já tinha feito 4 preparatórios. Sepultado na Capella do Carmo.

Em agosto de 1907 terminei a obra de minha caza do engº. na qual gastei 6:540$000 com muita economia.

Em janeiro de 1908 limpei o tanque do engenho deichando assentado sobre uma lage de pedra que tem no fundo gastei 812$000.

Em 20 de janeiro de 1895 as 8 horas do dia nasceu meo filho Jayme. Baptizou-se a 3 de março do mmo. anno, sendo padrinhos meo cunhado Eustáquio de Carvalho Andrade e o Cônego Francisco Vieira de Mello. - o bapstisante o mmo Cônego.

A 18 de maio do mesmo anno as 5 horas e 5 minutos da tarde morreo meo filhinho de uma enterite.

A 6 de março de 1896 as 6 horas e 35 minutos da manhã nasceo minha filha Izaura. Baptizou-se a 24 de maio do mesmo anno sendo padrinhos meo sobrº. Francisco Vra. de Mello Cabral e mª. sobrª. Maria Julia da Motta. Baptisante o Remo. Pr. Leandro Ribeiro dos Santos. 

Em Dezembro de 1908 appareceo pela primeira vez a febre aphitosa no gado, apenas perda de 1 bizerra e o melhor tratamento é muito zelo, para não tomar bicho.

-------------

Aos 15 de setembro de 1909 comprei o engenho Machado 8:000$000

--------------

Em janeiro de 1909 tomou conta como Vigário desta Freguezia de N. S. daPurificação meo sobrinho Pr. José da Motta Cabral.

------------

Sábado 11 de março de 1911 as 9 horas da noite morreo meo padrasto José Luis de Mendonça com 83 anno e dias de idade.

-------------------

Em 1912 o Vigário José Cabral principiou a reforma da Matriz no que gastou 3 anos de trabalho com grandes esforços - gastando

e em agosto de 1915 inaugurou a Igreja com grande Solenidade.

-------------------

Sábado 9 de novembro de 1912 cazou-se minha filha Othilia com o primo Octaviano da Motta Cabral. O acto civil foi na caza do Vigário José Cabral irmão do noivo e o ecleziástico na Matriz, foi concorridopor grande número de pessoas amigas.

Em 18 de fevereiro de 1913  comprei o citio com caza de morar, fabirca de descaroçar algodão com todos seos pertences a comadre D. Adelina por 12:000$000. Gastei 1:480$000 no concerto da caza e malhada.

-------------------

Em 12 de fevereiro de 1913 entrou José no Collegio do professor Raymundo Smith Firpo em maroim e em 2 de julho de 1914 entrou Aureo também pagando a mensalidade de 50$ por mêz cada um.

Sahirão em novembro de 1915.

Inaugurou-se a estrada de ferro do Timbó a Aracajú a 27 de maio de 1913.

Nasceo mª. 1ª neta Maria filha de Othília as 2 horas da tarde do dia 3 de setembro de 1913 e baptizou-se no dia 9 de novembro do mmo. anno, sendo padrinhos J. Ant. Mlº. Cabral e D. Maria Eliza da Motta Cabral o. procuração de D. Vitalina da Motta Cabral.

A 7 de outubro de 1913 chegou aqui na Capella Dom José Bispo de Aracajú em vizita pastoral demorando-se 9 dias, sua comitiva foi dos Rmos. Frades - Frei Elias Secretário, Frei Camillo e Frei Casemiro. Teve bonita recepção. 


1915

Nasceo minha 2ª neta Maria do Carmo fª, de Othília a 27 de maio as 2 horas da manhã do ano de 1915. Baptizou-se a 6 de junho do corrente anno sendo padrinhos Antônio da Motta Cabral e a vó Maria Pastora de Carvalho Cabral.

No dia 5 de agosto de 1915 inaugurou-se o ramal da Murta a Capella da estrada de ferro, e no dia 6 inaugurou-se o resto da linha de Rozário a Própria e foi uma festa pomposa aqui na Capella.

Em Agosto de 1915 inaurgurou-se com grande solenidade a Igreja Matriz. Merece do povo desta Parochia um voto de louvou o Vigário José Cabral pelo grande esforço de trabalho e muita força de vontade em transformar a Matriz que era, para a que está a custa de seos parochianos:

1916

Segunda feira 17 de janeiro de 1916 cazou-se minha filha Olindina com o primo Adalberto Cabral Leite. O acto civil foi em casa e o ecleziástico na Matriz. Os padrinhos forão Exmo. Sr. Francisco [?] de Andrade  e sua esposa e Octaviano da Motta Cabral por procuração do Exmo. Sr. Rodrigues Garcia e Othília da Motta Cabral.  Foi bem concorrido por grande número de pessoas amigas. No dia 18 embarcarão p. Propriá, [?] Pinêdo e 20 chegarão Maceió.

A 2 de março 1916 levei José e Aurio para o Collegio "Tobias Barretto" no Aracajú pertencente ao Sr. Professor José d'Alencar Cardoso pagando 110$000 por mêz.

A 12 de fevereiro de 1917 seguirão para Aracajú no mesmo Collegio os meninos pelo mesmo preço de 110$000 por mêz.

Em 12 de fevereiro de 1918 foram os meninos para o mesmo Collegio em Aracajú pagando 126$666 pro mêz.

A 10 de fevereiro de 1917 nasseo meo neto José as 7 horas da noite filho da Othilia. Baptizou-se a 6 de maio do mesmo ano sendo padrinhos Major Felix da Motta Cabral e a tia Olindina Cabral Leite.

No dia 29 de abril chegarão Olindina e Adalberto e voltarão com os noivos.

1917

Quinta feira 17 de maio de 1917 cazou-se mª. filha Maria Marietta com o primo Adolpho Cabral de Figueiredo. O acto civil foi em caza e o religioso na Matriz.

Os paraninphos do civil: Francisco Felix Ferreita Leite e Adalberto Cabral Leite.

do religioso: Octaviano da Motta Cabral e Antônio de Mello Cabral.

Foi bem concorrido grande número de pessoas amigas.

No dia 18 embarcarão para Propriá neste mmo. dia para Penêdo; no dia 21 para Maceió lá chegando no dia 23 devido a barra não dar logar a sahida do vapor.

Em 22 de julho (1917) Aureo caminhando em Tocos[?] escorregou, cahiou, fraturou a perna esquerda na Cocha e uma luchação no joelho levou 30 dias de camam, 15 dias caminhando de muletas.

1918

No dia 16 de janeiro 1918 chegou aqui Marietta que veio dar a luz.

No dia 05 de março as 11 e meia hora do dia nasceo meo neto Ascanio filho de Marietta. Baptizou-se a 2 de maio sendo padrinhos os avós José Cabral e Maria Pastora. Baptizante o Rvmo. Pe. José Cabral.

Em seguida no dia 3 de maio voltou Marietta a maceió com os seguintes companheiros Adolpho que veio buscálos, eu, Izaura e Senhora que foi ajudar levar o menino; e volta chegamos em caza a 29 de maio.

A 8 de outubro 1918 falleceu minha sogra Donaninha com 75 annos de idade, sepultouce na Capella do Carmo.

A 3 de fevereiro de 1919 nasceu em Maceió minha neta Aracy filha de Marietta, Baprtizou-se a 31 de agosto sendo padrinhos Antônio de Mello Cabral e MAroca irmã de Adolpho.

Em 24 de agosto seguio Pastora para Maceió com Totonio assistir o árto de Olindina voltou commigo a 2 de outubro.

No dia 1º  de setembro nasceu em Maceió meu neto Bismarck filho de Olindina. Baptizou-se a 26 do mesmo mez sendo padrinhos os avós José Cabral e Maria Pastora. Conosco veio Marietta passar uns dias, cá passou 3 mezes. 

A 9 de fevereiro 1920 falleceu Bismarck de gastrointerite.

Em fevereiro de 1919 seguio Aurio para Maceió estudar no Collegio Diocezano (Maristas) em outubro voltou doente.

A 27 de março de 1920 chegou Aurio na Bahia entregue ao Exmo. Dr. Doria o collocando no Collegio "Carneiro Ribeiro" nº 118.Entreguei ao Dr. Doria 2:000 para despezas. O Senr Themistocles Doria é o meo correspondente.

1920

A  25 de março as 8 horas nasceo meo neto Manoel filho de Othilia, e baptizou-se 1º de maio sendo padrinhos os Vigário e Pastora em lugar de Marietta. Falleceu a 11 de maio.


A 11 de abril de 1919 nasceo minha neta Maria Júlia filha de Othília. Baptizou-se a 23 de maio de 1920 sendo padrinhos João da Motta Cabral e Izaura Cabral.

Em 11 de abril de 1920 as 3 horas e 45 minutos da manhã nasceu meo neto Antonio flho de Marietta, baptizou-se a 24 de junho do mmo. anno sendo padrinhos Izaura e José; Carmelita aprequentouce.

No dia 11 de novembro de 1924 deu se o desastre na Uzina ficando queimados Izaura e o empregado Odilan, este faleceu no dia seguinte e no dia 18 foi inaugurada a mesma Uzina.

No dia 29 de dezembro de 1924 deu se o incêndio na fabrica de algodão.


Faleceu meu marido José Antônio de Mello Cabral as 10 horas do dia 16 de outubro de 1928. Sepultou-se na Igreja de N. S. do Carmo no mesmo dia.

------------------------------------------------------------------

Um José Antônio de Mello Cabral foi prefeito de Capela de 1902 - 1903 e  1906 - 1907. Será o mesmo? Se sim, por que não há nenhuma menção?


quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Árvore Genealógica - Família Cachoeirense

Estamos em um esforço coletivo de construir no My Heritage uma árvore chamada "Família Cachoeirense" que começa com diversas famílias de Cachoeira de Minas - MG mas inclui muitas outras ramificações incluindo os descendentes dos Motta Paes e famílias de Conceição dos Ouros, Paraisópolis, Pouso Alegre, dentre outros. Caso vocês tenham interesse em se juntar a iniciativa e colaborar na elaboração dessa árvore (que atualmente conta com aproximadamente 24.000 pessoas) entre em contato com o Guto Guerzoni pelo e-mail gutoguerzoni@gmail.com, informando nome completo, local de nascimento, nome dos pais e avós.

Caso queira visitar a árvore e ver como o trabalho está evoluindo acesse https://www.myheritage.com.br/site-family-tree-571917301/familia-cachoeirense

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

FILHOS DO CAPITÃO JOAQUIM DA MOTTA PAES

O Capitão Joaquim da Motta Paes teve da primeira esposa dois filhos, naturais de Lorena, Província de São Paulo.

 1-1  Joaquim José da Motta, nascido cerca de 1778, já falecido por ocasião do inventário de seu pai em 1819. Joaquim aparece na lista dos moradores de Lorena a partir de 1789. Em 1792 é declarado com 14 anos.            

1-2 Maria Tereza nascida cerca de 1779. Foi casada com Bento José de Castro.

O Capitão  Joaquim e sua segunda mulher Quitéria Lemes Cabral tiveram 10 filhos, também todos  naturais de Lorena:

1-3  Francisca Lemes Cabral – nascida cerca de 1782. Em 1819 foi em Pouso Alto madrinha de batismo de sua sobrinha Maria Ribeiro Cândida filha de Felix da Motta Paes. Deve ter falecido  logo depois, pois, por ocasião do inventário  de seu pai, em dezembro desse mesmo ano já era falecida..  Casada em 1806 com Francisco José de Azevedo, natural de Pouso Alto, batizado em Lorena, filho de Antônio José Coelho, natural de Portugal, da cidade do Porto, e Rosaura Maria, de Pouso Alto, filha de Domingues Rodrigues. Não deixaram descendentes

1-4   Mariano da Motta Paes nascido cerca 1784.  Foi casado com Maria Angélica de Oliveira, nascida cerca de 1791,  filha de Manoel Correia Ribeiro e Leonor Angélica de Oliveira. Em 1824 já era morador  na região do Oratório das Dores. Foi um dos primitivos moradores de São José do Paraíso. Na lista nominativa de 1831 é listado como carpinteiro, possuindo apenas um escravo. Foi um dos signatários da petição de 1853 pedindo a incorporação do município de Pouso Alegre à Província de São Paulo. Proprietário de terras na fazenda das Palmeiras. Na década de cinqüenta estava afazendado perto da fazenda Coqueiros numa serra vertente ao Sapucaí.  Mariano da Motta Paes  faleceu em S. José do Paraíso a 11-02-1866 com 80 anos, ainda casado. Maria Angélica de Oliveira  faleceu em 20-7-1871 com 80 anos.

1-5 Francisco Leme da Motta Paes nascido cerca de 1786, foi casado com  Mariana Antonia de Jesus, nascida entre 1787e 1790.  Em 1818 ainda é morador de Santana do Capivari quando perde um filho. Em 1824 já está nas Dores, proprietário de escravos. Em 10-11-1831 é testemunha, em Pouso Alegre no processo de habilitação. de sua sobrinha Maria Ribeira Cândida, declara ter 40 anos e viver de suas  lavouras. Na lista nominativa de 1831 é lavrador, com 45 anos,  possuidor de 7 escravos. Sua mulher Marianna é tecedeira e tem 40 anos.  Em 9-8-1841 Mariana Maria de Jesus, mulher de Francisco Lemes é madrinha de batismo, em Santana do Capivari, de Joaquim filho de José da Motta Paes e de Ana Luisa. 

1-6 Antônio da Motta Paes nascido cerca de 1788, já casado em 1819 no inventário de seu pai.

1-7 Capitão Domingos da Motta Paes nascido cerca de 1790.  Foi casado, em primeiras núpcias com Bernarda Guedes, filha de Manoel Gracia Guedes, falecido em Santana do Capivari em 25-7-1819, e Maria Pinto, também chamada (na “bula”) Maria Rita da Silva. Bernarda Guedes faleceu em Santana do Capivari em 28-02-1831.  Em 9 –11-1831 Domingos passou a segundas núpcias com Francisca Ribeiro de Oliveira, nascida cerca de 1818. Domingos foi, dos filhos do Capitão Joaquim, um dos que  permaneceu morando em Passa Quatro, capela de Santana do Capivari, aonde foi morador no Pinheirinho.Na lista nominativa de 1839 tem 31 escravos e trabalha com lavoura e tropas.  Na sua célebre “bula” ele conta ter morado na Cachoeira antiga fazenda Velha e se mudado para o Pinheirinho a 8 –10 –1845, mas nos assentos da igreja de Santana do Capivari, das década de 1810 e 1820, ele sempre aparece como morador no Pinheirinho Ao que parece Pinheirinho seria uma parte da fazenda Velha, nos arredores do povoado. No Pinheirinho, que é atualmente um bairro da cidade construiu uma capela em louvor a Santa Luzia, ainda hoje existente. O Capitão Domingos faleceu em 26-5-1861, no Pinheirinho, sem testamento. 

1-8 João da Motta Paes nascido cerca de 1791, foi morador em São José do Picu, bairro de  Santana do  Capivari. Em 1839 é ferreiro e agricultor e dono de nove escravos. Foi casado com Custódia Maria da Conceição, nascida cerca de 1792.

1-9 Joaquina Lemes Cabral, nascida cerca de 1793, casada com José Antônio da Silva, nascido cerca de 1787, falecido entre1829 e 1837, filho de Manoel Mendes da Silva e de Ana Ribeira , por esta neto de (?) e de Branca Maria  Ribeira (irmã de Rosaura Maria Gonçalves). Por ocasião de seu casamento recebeu como dote um escravo de nome José no valor de 90$000 e um cavalo no valor de 20$000. Desde 1822 José Antonio da Silva era morador em S. José do Campo das Formigas, atual Paraisópolis. Na lista nominativa de 1831 é lavrador e possuía 5 cativos. 

1-10 Major Felix da Motta Paes

1-11 Quitéria – falecida menina antes de 9  de Janeiro de 1801, data da partilha do inventario de sua mãe.

1-12 Francisca - falecida criança após 1801 e antes da morte de seu pai.

1-13 Ana Esmeria de Jesus, casada com José João Roiz, filho de José João Monteiro e de Francisca Ribeiro de Jesus e irmão de Francisco Chagas Monteiro. Ana Esméria fez testamento em Baependi a 30-1-1827, quando declara não ter descendentes. Faleceu em Passaquatro em 15/03/1827.

Do terceiro casamento com Joana Maria de Jesus o Capitão Joaquim teve:

1-14 Maria sepultada a 8-3-1817 dentro da capela de Santana do Capivari, debaixo das grades.

1-15 Florência Maria de Jesus casada com o Alferes Antônio José Ribeiro. 

1-16 Felícia Maria de Jesus casada com Manuel José Monteiro, filho (na dúvida) de José João Monteiro.  

1-17 Mariana nascida cerca de 1807. Casada antes de Dezembro de 1823, com Francisco Luiz da Silva. 

1-18 Joaquim da Motta Paes  nascido cerca de 1811.     

1-19 José da Motta Paes nascido cerca de 1814, casado com Maria Felicidade da Conceição.

1-20 Rita nascida cerca de 1816.


 Pesquisa do amigo José Campos Salles, que nos autorizou a publicação. 

Maiores informações no livro "Do fumo ao café: Major Felix da Motta Paes e seus descendentes"

terça-feira, 30 de abril de 2019

Esboço genealógico - Firmo da Motta Paes




2.8. Firmo da Motta Paes (Tenente Coronel), nascido em 29/02/1864 em Conceição dos Ouros-MG. Batizado em 23/03/1864. Casou-se pela primeira vez em 09/12/1893 com Maria Madalena da Cunha, filha de Joaquim Flauzino da Cunha (filho bastardo do Barão de Camanducaia) e Lucinda Mendes da Cunha, falecida em 1898. Maria Madalena  morreu 7 anos depois em 1900, não tendo deixado filhos. Viúvo, Firmo casou-se em 18/04/1903 com sua sobrinha Maria Luzia da Motta Paes (D. Cota), filha de Félix da Motta Paes Neto e Elisa Etelvina Motta, nascida 13/12/1883 e falecida em 09/10/1975, ambos em Conceição dos Ouros-MG. Faleceu em 08/08/1928 em Conceição dos Ouros, onde encontra-se enterrado. Foi político e presidente da Câmara de vereadores de Paraisópolis. Seguem os filhos do casal:

2.8.1 Maria América da Motta Paes (Mariinha). Nascida em Conceição dos Ouros, MG, em 12 de outubro de 1927 e falecida na mesma cidade em 1 º de setembro de 2007. Em 11/03/1988 deixou sua terra natal, mudando-se para Pouso Alegre, passando a morar em companhia de sua sobrinha Maria de Lourdes da Motta Paes (Nêga). Sem geração.

2.8.2 Maria da Conceição Ribeiro de Oliveira da Motta Paes. Nascida em Conceição dos Ouros, MG, em 13 de maio de 1910. Falecida em Belo Horizonte, MG, em 6 de junho de 1973. Sem geração.

2.8.3 Maria da Glória Ribeiro de Oliveira da Motta Paes. (D. Nina)  Nascida a 29/5/1917 em Conceição dos Ouros-MG. Foi professora primária em sua cidade natal e exerceu, também, por muitos anos as funções de contabilista, realizando a escrituração de livros para os maiores comerciantes locais. Em 1951 tenta a vida religiosa embarcando para a cidade de Buenos Aires, na Argentina, na condição de estagiária. Não se confirmando sua vocação retorna à Conceição dos Ouros. Montou e explorou por alguns anos uma pequena   papelaria montada na garagem de sua residência.  Sem geração.

2.8.4 Maria Ribeiro de Oliveira e Motta Paes (D. Cotinha). Nascida em conceição dos Ouros em 23/06/1904 e falecida na mesma cidade em 17/10/1983. Sem geração.

2.8.5 Hélio da Motta Paes e Camanducaia, nascido em Conceição dos Ouros em 12/04/1924 e falecido em Cachoeira de Minas - MG em dezembro de 2007. Foi casado pela primeira vez com Verônica Mathias Camanducaia, nascida naquela cidade em 13/04/1923, filha de Joaquim Francisco Matias e de Maria do Carmo da Conceição. Ela faleceu em Itajubá-MG, em 08/10/1981. Em segundas núpcias casou-se em 1985 com Maria de Lourdes Camanducaia, nascida em Cachoeira de Minas, MG, em 18 de agosto de 1933. Teve do primeiro casamento:
2.8.5.1 José Maria, nascido em Conceição dos Ouros- MG, em 21/07/ 1952.

2.8.5.2 Maria das Graças da Motta e Camanducaia. Nascida em Conceição dos Ouros- MG, em 11/11/ 1947. Casada em Paraisópolis- MG, em   04/02/1967, com Wagner Machado Leão (nascido em            13/04/1939). Passou a chamar-se Maria das Graças Camanducaia Leão. Pais de:
2.8.5.1.1 Fernanda Machado, nascida em 02/12/1967. Casada com José Carlos Costa Borges.
2.8.5.1.2 Leane Maria Machado, nascida em 05/05/1969. Casou-se com Enio Marcos Ribeiro dos Santos. Pais de:
2.8.5.1.2.1Stephanie Machado dos Santos, nascida em   3 de outubro de 1.991
2.8.5.1.3 Renata Machado, nascida 09/01/1973.
2.8.5.1.4 Patrícia Machado, nascida 30/11/1976.
2.8.5.1.5 Viviane Machado, nascida em 29/10/1978.
2.8.5.1.6 Luis Felipe Camanducaia Machado, nascido em Pouso Alegre- MG, em 07/05/1991.

2.8.6 João Joaquim da Motta Paes e Camanducaia. Nascido a 16/04/1915 em Conceição dos Ouros-MG. Em 1931 tornou-se congregado Mariano, no período de 1936 a 1940 integrou a “Lira São Luiz Gonzaga”, onde se destacou como trombonista. Ainda neste período, integrou o Elenco Teatral de sua cidade. De 1942 a 1948  foi proprietário da casa comercial “São Luiz”, situada à Av. Barão do Rio Branco,  nº 188 em Conceição dos Ouros (MG). Trabalhou arduamente na implantação do município de Conceição dos Ouros (MG) que ocorreu com sua emancipação em 6 de agosto de 1949.  Nos anos de 49 e 50 exerceu a função de procurador da Prefeitura Municipal de Conceição dos Ouros (MG), onde realizou o censo de 1950, incluindo a área rural. Em 02/02/1952, ingressou no Serviço Público  Estadual, sendo classificado no cargo de  Fiscal de Rendas do Estado, lotado na 11ª Delegacia Fiscal, sediada na cidade de Itajubá (MG). Em virtude de sua nomeação para a cidade de Itajubá (MG), viu-se obrigado a deixar a casa materna, indo residir em hotéis, onde viveria até seu casamento.  No dia  03/01/1957, na Igreja Matriz  de Nossa Senhora da Soledade, em Itajubá (MG), casou-se com a Srta. Cyla Novais Mesquita, natural de Barra Mansa (RJ), nascida em 18/01/1929, filha de Pedro Thomaz Pereira Mesquita e de Etelvina Novais Mesquita, ambos naturais de  Barra Mansa (RJ), falecidos  e sepultados em Itajubá (MG) em 16/06/59 e 03/11/76 respectivamente. Em 9 de outubro de 1981, após 35 anos de valiosos serviços prestados ao Estado, aposentou-se como Fiscal de Tributos Estaduais , classe G, com vencimentos integrais. Pais de:
2.8.6.1 João Luiz da Mota e Camanducaia (Nascido em Itajubá-MG, em 19/10/1957). Engenheiro Eletricista e 2º Ten R/2 da arma de Engenharia

2.8.6.2 José Augusto da Mota e Camanducaia (Nascido em Itajubá-MG, em 20/11/1958). Médico neurocirurgião e Professor de Medicina.

2.8.6.3 Rui Fernando da Mota e Camanducaia Nascido em Itajubá- MG, em 16/03/1961. Engenheiro civil. Casou-se na mesma cidade em 25/07/1992, com Cleide Maria Ribeiro, que passou a chamar-se Cleide  Maria  Ribeiro  Camanducaia (nascida em Bela Vista de Goias- GO em 24/10/1967). O casal separou-se. Pais de:
2.8.6.3.1 Gabriel Ribeiro Camanducaia, nascido em Goiânia, em 25/12/1993.

2.8.6.4 Antônio Braz da Mota e Camanducaia, nascido em Itajubá- MG, em 25/02/1962. Economista.

2.8.6.5 Paulo Sérgio da Motta Paes Camanducaia, nascido em Itajubá- MG, em 16/09/1965. Engenheiro Mecânico e 2º Ten R/2 da arma de Engenharia.

2.8.6.6 Erasmo Fábio da Motta e Camanducaia, nascido em Itajubá- MG, em 15/12/1971. Cirurgião dentista.

2.8.7 Maria Lucinda Ribeiro de Oliveira da Motta Paes. Nascida em Conceição dos Ouros, MG, em 20 de novembro de 1919. Falecida na mesma cidade, aos 7 dias de janeiro de 1920 de “sapinho”.

2.8.8 Joaquim da Motta Paes e Camanducaia, nascido em 13/05/1908 e falecido em 12/07/1942 em Conceição dos Ouros. Segundo aponta o Major José Joaquim da Motta Paes e Camanducaia, em informação fornecida por Hélio Irani da Motta e Camanducaia, em 1928, aos dezenove anos de idade, ingressou nas fileiras do Exército, como voluntário, sendo incorporado no 8 º Regimento de Artilharia Montada, sediado em Pouso Alegre, MG. No ano seguinte passou a exercer as funções de oficial de farmácia do setor de Saúde daquela Unidade Militar. Em 1930 foi promovido a graduação de cabo enfermeiro. Em 1932, no período de 14 de julho a 3 de outubro, participou ativamente da Revolução. Em 1933, por interesse do serviço, foi transferido para o 1º Grupo de Artilharia de Dorso, sediado em Campinho, no Rio de Janeiro. Ali, exercendo funções atinentes ao quadro de Saúde, serviu durante quatro anos e fez o curso para Sargento combatente. Em 1.937, deixando o serviço ativo passou para a reserva não remunerada, com a graduação de 3º Sargento. Retornando às atividades   civis, aceitou o convite de um médico, seu amigo, para assumir a direção de uma farmácia situada em Cascadura, na cidade do Rio de Janeiro, permanecendo a frente do aludido estabelecimento até abril de 1942, quando, já doente, voltou à cidade natal para tratamento de saúde. Sem geração.

2.8.9 José Joaquim da Motta Paes e Camanducaia (Major). Nascido a 16/02/1913 em Conceição dos Ouros-MG e falecido em 02/06/2003. Em fevereiro de 1931 se apresenta, como voluntário, no 8º Regimento de Artilharia Montada sediado na cidade de Pouso Alegre. Em 1932 participa da revolução de São Paulo, permanecendo na linha de frente por 2 meses e 19 dias. Em 1935, já 3º sargento vai para o Rio de Janeiro a fim de frequentar o curso de Educação Física do Exército. Em 1937, servindo em Juiz de Fora, conhece Diva Barreto Rodrigues, nascida a 03/09/1921, filha de Miguel de Paula Rodrigues e Catarina Barreto Rodrigues com quem vem a se casar em 01/11/1937. Ela passou a assinar Diva Rodrigues Camanducaia. Em 1959 por motivos familiares se vê obrigado a solicitar passagem para a reserva remunerada, o que lhe é concedido, por decreto assinado em 19 de   agosto de  1959  pelo Exmo. Sr. Presidente da República  Dr. Juscelino Kubischek de Oliveira, que antes de transferi-lo para a reserva o promove ao posto de Major.   Pais de:
2.8.9.1 José Horacio da Motta e Camanducaia, nascido em Jundiaí-SP em 16/06/1939. Faleceu em Belo Horizonte- MG em 23/08/2001. Casou-se em Belo Horizonte, MG, em 07/07/1966, com Alice  Barreto Coelho, que passou a chamar-se Alice  Coelho da Motta e Camanducaia ( nascida  em  Itanhandu, MG,  em   27/04/1930). Pais de:

2.8.9.1.1 José Horácio da Motta Paes e Camanducaia Júnior, nascido em Belo Horizonte- MG,  em 09/04/1968.

2.8.9.2 Hélio Irani da Motta e Camanducaia, nascido em Jundiaí-SP em 22/02/1941).  Casou-se em primeiras núpcias em Belo Horizonte-MG, em 06/09/1966 com Heloisa Notini Cançado ,  que passou a chamar-se Heloisa   Cançado e  Camanducaia (nascida em Nova Lima- MG em 20/06/1943, filha do  Dr.  Massanielo Lopes Cançado e de  Dona Diamante Notini Cançado, e falecida em Pouso Alegre- MG,  20/12/1970). Casou-se em segundas núpcias em Curitiba-PR, em 4/07/1974, com Adelaide Santos Silva, que passou a chamar-se Adelaide da Motta e Camanducaia (nascida em São Paulo- SP em 10/10/1948). Do primeiro casamento nasceram:
2.8.9.2.1 Paulo Henrique Cançado Motta e Camanducaia,  nascido   em  Paranavaí- PR, em 06/08/1967. Casado em Curitiba em 31/01/1993, com Maria Alice Panichi, que passou a chamar-se Maria Alice Panichi e Camanducaia (nascida em Cambará-PR, em 15/05/1965). Pais de:
2.8.9.2.1.1 Otávio
2.8.9.2.1.2 Laura
2.8.9.2.2 Anna Paula Cançado Motta e Camanducaia. Nascida em Curitiba- PR, em   26/04/1969 e falecida em Pouso Alegre- MG, em 20/12/1970).
Do segundo casamento nasceu:
2.8.9.2.3 Anna Christina da Motta e Camanducaia. Nascida em Curitiba-PR em 18/04/1975.

2.8.9.3 Cleah Dinorah da Motta e Camanducaia (nascida em Jundiaí-SP em 29/07/1942). Casou-se em Belo Horizonte- MG,  em  18/06/1966, com José Carlos Ferreira da Gama, nascido em  Belo  Horizonte, MG,  em   23/02/1940. Passou a chamar-se  Cléa Dinorah Camanducaia da Gama. Pais de:

2.8.9.3.1 Regina Lúcia Camanducaia da  Gama, nascida  em  Valença-,RJ,  em 02/07/1967. Casou-se  em  Belo Horizonte-MG em  09/09/1994 com Fernando  Cesar  de  Affonseca (nascido em  Belo  Horizonte  em 22/12/1965). Passou a chamar-se  Regina Lúcia  da  Gama  Affonseca.  Pais de:
2.8.9.3.1.1 Leonardo
2.8.9.3.1.2 Júlia
2.8.9.3.2 Luiz Cláudio Camanducaia da  Gama, nascido em  Valença- RJ,  em 20/03/1970. Casou-se em Belo Horizonte-MG, em 04/04/2002 com Patrícia Lemos Rodrigues (filha de Pedro Alcantara Rodrigues e Beatriz Lemos Rodrigues). Pais de:
2.8.9.3.2.1 Amanda
2.8.9.3.2.2 Caetano

2.8.9.4 Américo Itamar da Motta e Camanducaia (nascido em Belo Horizonte-MG em 21/08/1944). Casou-se em Itajubá, MG, em 6 de setembro de 1975, com Magda Bawden de Paula, que passou a chamar-se Magda Bawden de Paula  Camanducaia (nascida  em  Conceição dos Ouros- MG, em 19/12/1951). Pais de:
2.8.9.4.1 Ana Elisa de Paula Motta e Camanducaia, nascida em Belo Horizonte-MG, em 06/01/1977, mãe de:
2.8.9.4.1.1 José Luiz
2.8.9.4.2 Raquel Cristina de Paula Motta e Camanducaia, nascida em Belo Horizonte, MG, em 18/04/1980;

2.8.9.5  Dalmiro Evandro da Motta Paes e Camanducaia, nascido em Santa Rita do Sapucaí-MG em 24/08/1958. Casou-se  em  Belo Horizonte, MG, em  5  de  maio   de 1989, com Nara  de  Souza  Lopes ,que passou a  chamar-se Nara de Souza Lopes e Camanducaia (nascida   em  Cambuquira, MG, em 16/09/1963).  O casal separou-se. Pais de:
2.8.9.5.1 Henrique Lopes e Camanducaia, nascido em Belo  Horizonte- MG, em 30/11/1994.

2.8.10 Firmo da Motta e Camanducaia (2° Tenente Reformado do Exército), nascido a 05/03/1906 em Conceição dos Ouros-MG, falecido em Pouso Alegre em 25/01/1981. Casado  em Pouso Alegre em 21/12/1928 com Anathália de Lourdes Salles, nascida em 2/01/1904 em Pouso Alegre-MG e falecida na mesma cidade em 28/02/1990. Filha de Braz Marinelli Salles, italiano da Calábria, filho de Miguel de Salles e Rosa Marinelli e Maria da Conceição Gouveia de Souza , natural de Pouso Alegre, filha de Quirin de Souza Gouvêa e Theodora Maria de Jesus. Tiveram 8 filhos:

2.8.10.1 Mauro da Motta (Nascido  em 29/01/1930) casado em  em 28/06/1958 em Santo Anastácio-SP com Elza Rapchan, filhas de eslavos, nascida naquela cidade em 15/03/1938. Jornalista, poeta e compositor, estudou  Banjo com o professor  Evandro do Bandolim. Como compositor  tem cerca de 100 músicas gravadas em discos Continental, Chantecler e Planalto. Esta última reuniu várias de suas composições no LP  “As  Mais Belas Canções  de Mauro Damotta ”. É autor dos livros “Madrigal  dos Trovadores”,  “Janela de Apartamento ”, “O Passarinho Verde”, “Ponto de Encontro” e “Memorial  da AABB- São Paulo”.
2.8.10.1.1 Mauro Rapchan da Motta nascido em 09/05/1959 em São Paulo-SP, casado em 07/07/1984. com Regina Helena Chiari, nascida aos 16/11/1960. Pais de:
2.8.10.1.1.1 Mariana Chiari da Motta, nascida em Ribeirão Preto-SP em 28/09/1987.
2.8.10.1.1.2 Felipe Chiari da Motta, nascido em Campinas em 17/09/1993.
2.8.10.1.2 Dário Braz da Motta, nascido em São Paulo-MG em 07/05/1962 casado em São Paulo-SP com Dalva Moreira da Motta, nascida em Ipaussu-SP, em 07/11/1964. Pais de:
2.8.10.1.2.1 Ana Carolina da Motta(Carô), nascida em São Paulo-SP em 17/09/1989.
2.8.10.1.3 Hélio Aimberê da Motta, nascido em São Paulo-SP em 30/06/1964. Casado em São-Paulo-SP em 19/09/1992 com Beatriz Helena Volpe da Motta, nascida naquela cidade em 26/10/1964.
2.8.10.1.4 Fernando Guaraci da Motta, nascido em São Paulo-SP em 10/06/1975.

2.8.10.2 Maria de Lourdes da Motta Paes (Nêga). Nascida em Pouso Alegre em 26/11/1931 e falecida na mesma cidade em 12/12/1998. Sem geração.

2.8.10.3 Adauto da Motta Paes. (Nascido em 30/01/1938 em Pouso Alegre-MG). Casado em Pouso Alegre, MG, em 18 de dezembro de 1965 com Maria Adélia Pinheiro (nascida em Fortaleza- CE, em 7 de julho de 1942, filha de Albertino  Pinheiro e  Suzete Sá Pinheiro). Pais de:

2.8.10.1 Adauto Pinheiro da Motta Paes, nascido em 06/10/1966, engenheiro agrônomo, casado em Pouso Alegre, MG, em 09/07/2004 com Renata de Assis Baganha da Motta Paes (nascida em Pouso Alegre, MG, em 01/04/1973)

2.8.10.2 Anderson Pinheiro da Motta Paes, nascido em 19/01/1969, advogado, casado em Pouso Alegre, MG,  em   25/05/2010 com Lise Prata de Oliveira (nascida em Pouso Alegre, MG, em 09/03/1975). Pais de :
2.8.10.2.1 Fernanda Prata da Motta Paes, nascida em Pouso Alegre, MG, em 28/09/2010.

2.8.10.2.2 Olívia Prata da Motta Paes, 09/03/2013, Hospital das Clínicas Santa Paula, Pouso Alegre - MG.

2.8.10.3 Adélia Cristina Pinheiro da Motta Paes (nascida em Pouso Alegre, MG, em 15/02/1970) e casada em Pouso Alegre, MG, em  07/03/2003 com  Amauri Borges Fernandes (Nascido em Ouro Fino, MG, em 25/08/1965, filho de Otávio Borges da Costa e Izalina Fernandes Borges,). Pais de:

2.8.10.3.1 Laís da Motta Paes Borges (nascida em Pouso Alegre, MG, em 04/11/2005).
2.8.10.3.2 Lucas da Motta Paes Borges (nascido em Pouso Alegre, MG, em 23/09/2009).

2.8.10.4 Myrthes da Motta Paes (Nascida em Pouso Alegre-MG em 17/07/1933 e falecida em Poços de Caldas em 26/04/1990. Sepultada em Pouso Alegre -MG). Casada em 03/05/1954 com José Walter Cabral Matos (nascido em 02/10/1931 em Japaratuba-SE e falecido em Poços de Caldas-MG em 11/06/1987 de infarto fulminante. Sepultado em Pouso Alegre-MG). José  Walter Cabral  Matos era filho de Antônio Matos e  de Júlia Cabral Matos, teve um único  irmão  William Cabral Matos, Coronel da Cavalaria falecido na cidade do Rio de Janeiro em 1985. José estudou no seminário de Aracaju-SE, tendo ingressado no Exército em 1950, através de concurso na ESA em Três Corações, MG, onde nomeado    sargento da  arma de Artilharia, sendo classificado no 8º RAM, sediado  na Cidade de Pouso Alegre, MG. Nesta cidade cursou a Escola Técnica de Comercio e a Escola de Direito, tendo colado grau como Bacharel em Direito em 1969. Após atingir o posto máximo de seu quadro (Capitão) solicitou passagem para a reserva de primeira classe o que lhe foi concedido em 1984.  Durante sua vida militar iniciada em Três Corações-MG, serviu em Pouso Alegre-MG, Ilhéus-BA e em Poços de Caldas-MG, onde  exerceu as funções de Delegado Militar e solicitou passagem para a reserva. Tiveram sete filhos:

2.8.10.4.1 Maria de Fátima da Motta Paes Matos (nascida em 14/01/1955 em Pirassununga-SP) c.c. Ailton Sebastião Cobra.

2.8.10.4.1.1 Ana Flávia Matos Cobra, Nascida em Pouso Alegre,  MG,  em  27  de  janeiro  de 1976. Mãe de:
2.8.10.4.1.1.1 Rafaela Matos Cobra Danza, nascida em Poços de Caldas em 24/04/2011.

2.8.10.4.1.2 Marcella Matos Cobra nascida em Pouso Alegre em 13/06/1982. Mãe de:
2.8.10.4.1.2.1 Leandro Matos Cobra Dias, nascido em Poços de Caldas em 15/05/2002.
2.8.10.4.1.2.2 Giovanna Paola Matos de Andrade, nascida em Poços de Caldas em 02/06/2006.
2.8.10.4.1.2.3 Gilvan Gregório Matos Cobra Sabino, nascido em Poços de Caldas-MG em 15/10/2010.

2.8.10.4.1.3 Ailton Sebastião Cobra Filho nascido em 02/07/1983 em Pouso Alegre/MG.

2.8.10.4.2 Walmyr da Mota Matos (nascido em Pouso Alegre-MG em 09/08/1956 e falecido no Rio de Janeiro-RJ em 22/11/2006) c.c. Vânia Maria de Andrade, nascida em Maxaranguape-RN em 14/07/1962. Pais de:
2.8.10.4.2.1 William Walter de Andrade Matos (nascido no Rio de Janeiro-RJ em 10/12/1985) c.c Juliana Nascimento em 30/04/2010. Pais de:
2.8.10.4.2.1.1 Yann Lucca
2.8.10.4.2.1.2 Gabriel Lucca
2.8.10.4.2.2 Walmyr da Mota Matos Júnior, nascido no Rio de Janeiro-RJ em 26/02/1996.

2.8.10.4.3 Myrthes Maria da Mota Matos, nascida em Pouso Alegre/MG em 15/06/1962.

2.8.10.4.3.1 Mayara da Mota Matos, nascida em Poços de Caldas-MG em 14/10/1986. Casada em 12/11/11 em Poços de Caldas-MG com Elisier Cellini Junior, nascido em 12/10/1985 em Mirassol-SP, filho de Elisier Cellini e Maria Cristina Correa Cellini.

Casou-se em 28/05/1991 com Cássio Alexandre Dantas, nascido em Borda da Mata-MG em 28/05/1961. O casal teve quatro filhos:

2.8.10.4.3.2 Nayane Matos Dantas, nascida em 15/10/1989 em Poços de Caldas-MG, casada com Vinícius Oliveira Santos em 28/02/2014 em Cianorte-PR, nome de casada: Nayane Matos Dantas Oliveira Santos. Pais de:
2.8.10.4.3.2.1 Nina Matos Dantas de Oliveira Santos, nascida em 11/12/2018 em Cianorte/PR.

2.8.10.4.3.3 Laryssa Matos Dantas, nascida em 01/07/1993 em Poços de Caldas-MG.

2.8.10.4.3.4 Rayssa Matos Dantas, nascida em 17/07/1995 em
Poços de Caldas -MG

2.8.10.4.3.5 Gustavo Matos Dantas, nascido em 17/04/1998.

2.8.10.4.4 José Walter da Mota Matos, nascido em 09/03/1966 em Pouso Alegre-MG. Casado pela primeira vez com Cláudia Regina de Oliveira Prado, nascida em Pouso Alegre-MG em 24/07/1968 . Tiveram uma filha:
2.8.10.4.4.1 Natália Prado Matos, nascida em 11/12/1984 em Pouso Alegre-MG, casada com Eduardo Prado Ponzetto em Poços de Caldas-MG.

Casado pela segunda vez com Fábia Danielle Barbedo Viana Matos, com quem teve uma filha:
2.8.10.4.4.2 Vivian Beatriz Viana Matos, nascida em Pouso Alegre-MG em 22/02/2007.

2.8.10.4.5 Maria Rosanyr da Mota Matos, nascida em Pouso Alegre-MG em 05/05/1963. c.c. Cláudio Enrique de Carvalho Moraes. O casal teve três filhos:
2.8.10.4.5.1 Cláudio Henrique Matos Moraes, nascido em 07/10/1985 em Poços de Caldas, e casado com Josiene Martins. Falecido em 02/05/2017 na mesma cidade. Pais de:

2.8.10.4.5.1.1 Melissa Martins Moraes, nascida em Poços de Caldas-MG em 26/02/2016.

2.8.10.4.5.2 Lincoln Matos Moraes, nascido em 02/09/1990.
2.8.10.4.5.3 Graziella Matos Moraes, nascida em Poços de Caldas em 10/05/1994.

2.8.10.4.6 Júlia de Lourdes da Mota Matos c.c. Paulo Roberto Machado Jorge em Poços de Caldas-MG em 09/09/1989, filho de Abrão Jorge, falecido em 5 de agosto de 1.980 e de Maria de Lourdes Machado Jorge, natural de Lavras-MG, onde nasceu em 16 de agosto de 1.922. O casal teve um filho:

2.8.10.4.6.1 José Walter Cabral Matos Neto, nascido em Poços de Caldas em 03/05/1996.

2.8.10.4.7 Antônio William da Mota Matos (nascido em Pouso Alegre/MG em 25/09/1971) c.c. Michele Aparecida Porto. O casal teve duas filhas:
2.8.10.4.7.1 Izabella Porto Matos (Nascida em Poços de Caldas-MG em 28/06/2013).

2.8.10.4.7.2 Júlia Porto Matos, nascida em Poços de Caldas-MG em 30/05/2017.

2.8.10.5. Maria Lúcia da Motta Paes nascida em 29/10/1942, casada em Pouso Alegre em 17/10/1964 com Arlindo Pedro da Silva (nascido em Santos Dumont- MG, em 03/05/1936,  filho de José Pedro da Silva e de Maria Geralda da Silva,  e falecido em Pouso alegre em 20/02/1984). Passou a assinar Maria Lúcia da Motta e Silva. Tiveram 3 filhos:
2.8.10.5.1 Arlindo César da Motta e Silva, nascido em 18/09/1965 em Pouso Alegre-MG. Casa-se com Cristiana Libânio Menezes em 10/12/1994. Vereador em Pouso Alegre-MG . O casal separou-se. Pais de:
2.8.10.5.1.1 Arlindo Christiam Vilhena da Motta e Silva, nascido em Pouso Alegre, MG, em 07/07/1999

2.8.10.5.2 Fabríco da Motta e Silva, nascido em Curitiba-PR em  27/12/1975, casado com Juliana Megale. Pais de:

2.8.10.5.2.1 Fabrício nascido em Pouso Alegre em 05/08/2013.
2.8.10.5.2.2 Angelina


2.8.10.5.3 Lúcia Cristina da Motta e Silva, nascida em 23/08/1967 e casada em Pouso Alegre, MG, em 21/10/2000 com Anderson Pereira Gomes (nascido em Pouso Alegre, MG, em 02/06/1975). Mãe de:

2.8.10.5.3.1 ) Thales da Motta Carvalho, nascido em Pouso Alegre, MG, em 02/11/1994, filho de Hélio Camargo.

2.8.10.5.3.2 ) Renan da Motta Jonas, nascido em Pouso Alegre, MG, em 21/06/2001.

2.8.10.6 Firmo da Motta Paes (Nascido em 28/04/1935 em Pouso Alegre/MG, onde faleceu em 06/10/2004). Casou-se com Neusa Silva da Motta Paes (nascida em Alfenas, MG, em 10 de outubro de 1937) em Aparecida do Norte/SP, em 18 de dezembro de 1958. Em 1965 matricula-se na Escola de Direito de Pouso Alegre, MG, onde conclui o curso em 1969, abandonando de vez a profissão de farmacêutico e dedicando-se de corpo e alma ao direito. Como político cria uma centena de diretórios  do MDB em todo Sul de Minas. Eleito vereador da cidade de Pouso Alegre, MG, bem como presidente da Câmara Municipal.  Pais de:
2.8.10.6.1 Firmo da Motta Paes Junior casado com Daniele Inocêncio Siqueira, nascida em Itajubá-MG em 04/09/1980.
2.8.10.6.1.1 Firmo da Motta Paes Neto, nascido em 07/11/2012 em Pouso Alegre

8.10.6.2 Neusa Maria da Motta Paes, nascida em São Paulo/SP, em 13/02/1960.

2.8.10.7 Maria Stellamaris da Motta Paes (Nascida em 19/09/1948 em Pouso Alegre-MG). Casada Pouso Alegre, MG, em 07/06/0975 com Afonso Celso Duarte Lucas (Nascido em Taubaté, SP, em 24/10/1952). Passou a assinar Maria Stellamaris da Motta Lucas. Pais de:

2.8.10.7.1 Andrea Maris da Motta Lucas, nascida em Pouso Alegre/MG em 09/04/1976.

2.8.10.7.2 Sandra Elise da Motta Lucas, nascida em Pouso Alegre/MG,  em  02/12/1978 .

2.8.10.8 Ariovaldo da Motta Paes (nascido em Pouso Alegre em 07/11/1939) casado em Aparecida- SP, em 31/07/1961 com Maria de Lourdes Motta Paes. Pais de:
2.8.10.8.1 Lourdes Maria Motta Paes, nascida em 10/05/1962 em Três Corações-MG. Mãe de:

2.8.10.8.1.1 Anderson José da Silva Júnior, nascido em 28/07/2013 em Pouso Alegre-MG.

2.8.10.8.1.2 Gabriela da Motta Paes Silva, nascida em 20/12/2006 em Pouso Alegre-MG.

2.8.10.8.2 Ana Carolina Motta Paes casada com Rodrigo em 06/10/2012

2.8.10.8.3 Ariovaldo Braz Motta Paes (Nascido em Pouso Alegre, MG, em 26/12/1963) casado Resende-RJ, em 20/12/1986 com Patrícia Isoldi (nascida em Resende,RJ, em 08/03/1970).

2.8.10.8.3.1 Ana Paula da Motta Paes (nascida em Resende- MG, em 24/05/1987).

2.8.10.8.4 Alessandra Mara da Motta Paes (nascida em Pouso Alegre, MG, em 05/02/1973) casada em Pouso Alegre, MG, em 17/11/2001 com Gustavo Carvalho Costa.

2.8.10.8.4.1 Isadora da Motta Paes Costa, nascida em Pouso Alegre, MG, em 14/03/2002.
2.8.10.8.4.2 Amanda da Motta Paes Costa, nascida em Pouso Alegre, MG, em 28/02/2007.

2.8.10.8.5 Alisson Luiz da Motta Paes, nascido em Juiz de Fora-MG, em 04/01/1980 e casado com Deonilde Aparecida Farias da Motta Paes.

2.8.10.8.5.1 Ana Júlia Farias da Motta Paes, nascida em Pouso Alegre, MG, em 21/12/2005

2.8.10.8.5.2 ) Beatriz Farias da Motta Paes, nascida em Pouso Alegre, MG, em 10/03/2009.

2.8.10.8.6 Ana Carolina da Motta Paes, nascida em Juiz de Fora, MG, em 22/11/1984.

2.8.10.8.7 Mariana Albina de Souza, nascida em  Pouso Alegre- MG, em 19/04/1967.

2.8.11 Maria Lucinda Ribeiro de Oliveira e Motta Paes ( Doca). Nascida em Conceição dos Ouros, MG, em 25 de dezembro de 1920. Falecida em Itajubá, MG, em 26 de outubro de 1987. Sem geração.


Caso tenha informações, entre em contato pelo email mayara.mmatos@gmail.com. Obrigada pela visita!